cicloturismo, trilhas, bike, roles de bike, viagem de bike

#35 Route 66 15/10

Por : Cacá em : 23/10/2016

#35 Route 66 15/10

#35 Route 66 15/10Em algum lugar do deserto Mojave – Newberry Spring 
Acordei às 5am, era medo do sol e do calor, então resolvemos acordar cedo. À noite foi a mais tranquila de todas. Na noite anterior eu apaguei na cama então as 5 da manhã estava zerada e pilhada pra pedalar. Me arrumei rapidinho e já sai. À temperatura também estava perfeita. Ultimamente estava fazendo muito frio, meus dedos ficavam congelados. Mas hoje não. Estava perfeito.

Segui pra mais um dia de pedal pelo deserto do Mojave e foi maravilhoso, montanhas pra todos os lados e o sol nascendo trazendo várias cores para aquele cenário. Me senti abençoada por estar ali. 

Pedalei por quase 90 km e parei em Ludlow pra almoçar. Depois desmaiei na cama por duas horas. Dormi pesado. Foi ótimo. Quando acordei estava pronta para a segunda parte do dia. A Route 66 continuou até Newberry Spring, a cidade que estou agora. Mas as condições da estrada eram péssimas, toda esburacada e cheia de rachaduras. Quando não tinha buracos era toda cheia de pedras e o vento mais uma vez batendo na minha cara. Foram 60km bem sofridos. No final do dia não aguentava mais. Minhas pernas estavam bem, mas minha bunda estava sofrendo… hahaha. Meus braços formigavam de tanta trepidação. A estrada estava péssima. O Imran tinha me avisado. Ele mesmo acabou indo pela 40, mas eu não queria sair da rota e paguei um preço alto por isso.

Quando o sol foi embora o vento aumentou ainda mais. Falei pro Guga ficar mais perto de mim já que a luz do dia ia acabar e eu ia precisar do farol do carro. Vira e mexe ele ia diminuindo a velocidade e a luz ficava mais fraca e a noite ia surgindo. Até que eu tive que chamar a atenção dele por duas vezes. Aquele jeito meigo a lá tosca calabresa que eu defino por “tosca”. A verdade é que faz tempo que ele vem me testando. Já tive duas DRs com ele. O problema é que ele criou uma expectativa da viagem que nunca ia acontecer. E eu avisei que ele seria o motorista, que não teria outra pessoa. Mas ele criou essa ideia de que ia pedalar a rota também. Aliás ele saiu contando e postando sobre isso. E aí se frustou. Mas eu to tendo que aguentar a falta de comprometimento, parceria e responsabilidade com o projeto. Me decepcionei com ele. Mas a culpa é minha, eu errei na escolha. E tem sido a parte mais difícil pra mim nesta empreitada. Não tenho muita paciência, me irrito e fico puta. Tem sido um aprendizado também. Mas não é o suficiente pra estragar minha jornada. Apenas um menino mimado. 

Depois de uns 40 minutos ele me chamou no rádio e disse que a cidade era pra direita. Ou seja, iríamos cair na interestadual 40. Eu disse que não queria pegar a 40. Aí ele retrucou: – então entra no carro! Além de todo estresse desta jornada, a impressão que eu tinha era ele torcendo pra eu quebrar. Mas sabe aquele ditado…quando uma coisa é pra acontecer, até quem tenta atrapalhar, ajuda.Hahaha… Nem a pau Juvenal. Eu vou de bike. Nestas horas ele deve ficar torcendo pra eu amarelar, quebrar ou qualquer outra coisa pra eu ter que abandonar meu role. E deve ficar mais puto ainda porque eu não largo o osso! Nem que eu tenha que perder mais um dia, eu disse lá trás, quando acertei o roteiro da viagem, que não iria mais cortar caminho. Eu não vim pedalar na rota pra ficar comendo quilômetros no motor home. Eu vim pra pedalar e pronto e não me enche o saco!

Quando vi que tinha chegado na cidade, ela era apenas um posto de gasolina e mais nada. Passei por algumas casas, mas era realmente bem pequena. Ficamos ao lado do posto. Ventava tão forte que balançava o RV. Fizemos nosso jantar com um vinho californiano rose e mais uma vez desmaiei na cama.

Beijos

POSTS RELACIONADOS

Chapada Diamantina – Cap. 6
Chapada Diamantina – Cap.5
Teaser II – A Legendária Route 66 de Bike
Chapada Diamantina – Cap.4